Sábado, 07 de Fevereiro de 2009

Junot

 

 

  

 Soult                                                                 Massena

 

 



estudado por nº 8 às 00:43
Quinta-feira, 05 de Fevereiro de 2009

1ª Invasão francesa: JUNOT, 1807


 

Com a primeira invasão francesa, em 1807, a família real foi viver para o Brasil para evitar dessa forma a perda da independência de Portugal.

As tropas napoleónicas deixaram no nosso país um rasto de destruição, mataram muitas pessoas, incendiaram casas, devastaram culturas e Junot (o comandante francês que liderou a 1ª invasão) dissolveu a Junta de Regência e passou a governar Portugal em nome de Napoleão.

A população portuguesa, muito desagradada com isto, reagiu contra o invasor, organizando em vários pontos do país, movimentos de resistência popular, mas foi precisa a ajuda de Inglaterra também.

Em 1808 (um ano mais tarde) um exército inglês, liderado por Arthur Wellesley, desembarcou perto da Figueira da Foz e, juntando-se ao exército português, venceu os franceses nas Batalhas de Roliça e de Vimeiro, o que levou Junot a pedir a paz e a assinar a Convenção de Sintra, retirando-se de Portugal.

 

(Junta de Regência: era o órgão que, em caso de ausência do rei, assumia o encargo de governar.)

 

2ª Invasão francesa: SOULT, 1809


 

Napoleão não desistiu de conquistar Portugal e então, ainda em Março de 1809 (no ano seguinte à retirada de Junot), o marechal Soult entrou em Portugal pelo Norte do país e dirigiu-se à cidade do Porto onde ocorreu o famoso desastre da ponte das barcas e o exército francês se afogou no Rio Douro. Também ele se retirou para a Espanha.

 

 

 

3ª Invasão francesa: MASSENA, 1810


 

No ano seguinte, em Julho de 1810, o general Massena e o seu exército, entrou em Portugal por Almeida, na Beira Alta e dirigiram-se para Lisboa onde foram derrotados na Batalha do Buçaco.

Continuaram, contudo a avançar em direcção ao centro da capital, mas foram detidos nas Linhas de Torres, que eram constituídas por um conjunto de fortificações que os ingleses nos tinham ajudado a construir.

Vencidos, os franceses foram obrigados a retirar-se definitivamente de Portugal, em Março de 1811.

 



 

Aconteceu na França, em 1789 (séc XVIII), com a tomada da Bastilha, onde o exército de Napoleão Bonaparte prendeu o rei francês Luís XVI e a rainha Maria Antonieta, ambos membros do clero e da nobreza.

 

A revolução Francesa proclamou novos direitos do homem e do cidadão, baseados nos princípios de igualdade, liberdade, fraternidade e ideais do liberalismo.

 

Liberalismo: teoria política, económica e social que defende a liberdade e a igualdade dos cidadãos perante a lei; a separação dos poderes, e os direitos dos cidadãos.

 

Ideais do liberalismo:

Ø  Igualdade de todos os cidadãos perante a lei.

Ø  Separação dos poderes: do legislativo, do executivo e judicial (que antes pertenciam todos ao rei).

Ø  Participação dos cidadãos na vida política (através de votos)

 

Separação dos poderes:

Ø  Poder legislativo: tem a função de fazer as Leis

Ø  Poder executivo: tem a função de executar as Leis (o Governo)

Ø  Poder judicial: tem a função de fazer cumprir as leis (os Tribunais)

A revolução francesa provocou um clima de agitação e conflito em toda a Europa e também em Portugal, porque os reis absolutos europeus (eram absolutos porque tinham os poderes todos) tinham receio de ficarem destronados e declararam guerra à França.

Napoleão queria dominar a Europa e ocupou muitos países. A Inglaterra opôs-se a esta ambição e como Napoleão não conseguia vencer a Inglaterra só pela força das armas decretou o Bloqueio Continental e exigiu aos países europeus que fechassem os seus portos aos navios ingleses, impedindo assim o comércio inglês.

Com esta medida, Napoleão pretendia desencadear uma grave crise económica na Inglaterra, através da asfixia do seu comércio.

 

Portugal não aceitou estas exigências porque, para além de ser amigo de Inglaterra, o nosso comércio também dependia das trocas efectuadas com Inglaterra.

Por não se unir a Napoleão no Bloqueio Continental, Portugal teve de suportar as consequências, que foram:

 

Ø  Invasões dos exércitos franceses.

Ø  A família real portuguesa e a Corte fugiram para o Brasil.

Ø  Tivemos de pedir ajuda a Inglaterra.

Ø A opinião pública dos portugueses dividiu-se acerca deste acontecimento.

 

 

Invasões da França a Portugal, por não termos aderido ao Bloqueio contra a Inglaterra:

 

·         A 1ª foi em Outubro de 1807, comandada por Junot

·         A 2ª foi em 1809, comandada por Soult

·         A 3ª foi em 1810, comandada por Massena

 



estudado por nº 8 às 23:16

View My Stats
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
arquivos
2009

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds